Essa é uma revisão anterior do documento!


Nossa História

Esta página tenta recapitular um pouco da origem do OeSC-Livre, suas inspirações, principais personagens, erros e acertos. Se você participou de alguns dos eventos mais importantes do grupo e encontrou algum erro no relato, por favor nos ajude a retificar o texto e preservar a nossa história.

Origens: TcheLinux e a primeira tentativa

No ano de 2008 um dos membros ativos e co-fundador do TcheLinux, Fábio Olivé, veio morar em Chapecó, SC, e aqui encontrou mais alguns membros do TcheLinux que já havia encontrado no FISL e outros eventos próximos, o Sidimar Carniel e o Filipe Rosset. Desse encontro em Chapecó surgiram algumas conversas sobre se existiria algum grupo como o TcheLinux na região oeste de Santa Catarina, e como não foi encontrado nenhum grupo ativo, surgiu a idéia de se criar um grupo novo aqui.

A primeira idéia foi criar um grupo local chamado XAPlivre, constituído de algumas poucas pessoas próximas aos membros fundadores Fábio, Sidimar e Filipe. O grupo no Google Groups foi criado em 21/10/2008, para que já houvesse um ponto de contato inicial para o grupo. O XAPlivre (também chamado ChapeLivre) pretendia ser “o Grupo de Usuários de Software Livre de Chapecó e região, atingindo todo o Oeste Catarinense” (retirado da mensagem de boas-vindas do grupo no Google Groups). Os primeiros membros do grupo costumavam realizar encontros chamados “Café com Linux”, em que se encontravam em algum café da cidade de Chapecó que tivesse acesso à Internet e discutiam formas de divulgar o grupo e organizar eventos. Nestes primeiros encontros estava presente o Prof. Radamés Pereira, da Unochapecó, que participou muito na idéia da organização de um primeiro evento aqui.

Tux Condá, logo do XAPlivre Durante vários meses o grupo teve muito pouca atividade, até que no início de 2009 surgiu a idéia de se trazer um evento do TcheLinux para cá. Embora não seja o escopo do grupo TcheLinux sair do RS, Chapecó também não é assim tão longe e a maioria dos membros originais do XAPlivre também eram membros do TcheLinux. A idéia era utilizar este evento com nomes já conhecidos e conteúdo técnico de alta qualidade para [re]lançar a idéia do grupo local já com uma certa força. O evento ocorreu na UNOESC, no Sábado dia 6 de Junho de 2009. Este evento foi um sucesso e realmente ajudou a sedimentar a idéia de que era interessante ter um Grupo de Usuários de Software Livre para a região Oeste de Santa Catarina. Neste primeiro evento foram feitas muitas parcerias, e o grupo ganhou um membro bastante ativo em Concórdia, o Jackson Laskoski.

O logotipo do XAPlivre era o Tux Condá, criado por Fran Sbardelotto durante uma palestra do TcheLinux, baseado no pinguim do Linux e com traços e decorações indígenas, fazendo referência direta ao conhecido personagem histórico da região, o Índio Condá.

O principal problema enfrentado por este primeiro grupo, o XAPlivre, era exatamente o seu nome. A partícula XAP, inicialmente pensada como uma forma de representar a região pelo código do seu principal aeroporto, na verdade sempre identificou demais o grupo com Chapecó e as pessoas de outras cidades não viam o grupo como sendo algo que os representasse de forma igualitária. Muito se discutiu sobre isso, novamente durante alguns meses de pouca atividade enquanto se tentava em vão organizar um evento grande sem ter nem a experiência de organizar eventos pequenos.

Rediscutindo o grupo: surge o OeSC-Livre

No início de 2010, os poucos encontros do grupo em Chapecó acabaram por deixar bem claro que toda a identidade do grupo deveria ser repensada. Não poderia continuar com o nome XAPlivre, não poderia ter o “Tux Condá” como logotipo (pois Software Livre não é só Linux, problema que o TcheLinux enfrenta com seu logo e nome até hoje) e teria que certamente começar a criar encontros em outras cidades e até “fugir” um pouco de Chapecó para que ficasse bem claro que o escopo do grupo era todo o Oeste Catarinense.

Em Junho de 2010 correram pelo moribundo XAPlivre algumas discussões sobre o novo nome do grupo e sua nova identidade regional. Num “momento de fúria”, depois de combinar um pouco as ações com o Sidimar e o Jackson, Fábio Olivé resolveu recriar todo o grupo em 17/06/2010. Numa tarde registrou o novo grupo no Google Groups, registrou o canal #OeSC-Livre na rede IRC.Freenode.net, registrou o domínio oesc-livre.org e contratou hospedagem do domínio por 5 anos, colocando lá um site bem simples para servir de “pontapé inicial”. Foi feito um anúncio no XAPlivre convocando todos para migrarem para o novo grupo OeSC-Livre, e aparentemente os astros estavam alinhados de forma mais propícia nesta data, pois o grupo teve uma ótima aceitação e rapidamente começou a ter mais movimento que o grupo antigo.

Foi realizado um “concurso de logotipos” para o grupo, chegando a ter mais de 20 propostas. O logo atual saiu da junção de duas propostas do membro “Batatah”, segundo uma longa discussão e votação pelo IRC. O interessante do logo é que ele acabou dando a idéia do grupo ter um “mascote”, o Bugre, um representante dos conhecidos bugs de software porém reaproveitando o termo usado para identificar várias populações indígenas do Brasil.

Depois de escolhido o logotipo, o membro Edinei Cipriani organizou a produção de uma primeira leva de camisetas do grupo, com o intuito de divulgá-lo durante o FISL de 2010, que aconteceu em Julho. Os membros do grupo que foram ao FISL lá participaram do stand do TcheLinux e aproveitaram para divulgar um pouco o novo grupo local. Foram estabelecidos alguns laços importantes, como por exemplo com o pessoal do Solisc, uma associação que atua mais na região leste do estado e funciona como a Associação Software Livre do RS, que organiza o FISL.

Foram identificados muitos palestrantes naquele FISL que tinham origens (ou mesmo ainda residiam) no Oeste Catarinense, portanto foi criada a idéia de organizarmos um evento aqui no oeste reutilizando as várias palestras do FISL apresentando-as para o público local. O Prof. Tiago Zonta, coordenador dos cursos de computação da UNOESC em Chapecó, organizou um evento com este fim no final de Outubro de 2010. O evento foi muito bom, contando com profissionais conhecidos na região, como Elton Minetto, Darlan Segalin, e Jean Carlos Hennrichs, tendo como público muita gente de várias cidades e muita divulgação da proposta do OeSC-Livre.

Nos últimos meses de 2010 o grupo terminou o ano com debates na lista sobre a criação de um grande evento de Software Livre a ser organizado na região de forma “itinerante”, prestigiando uma cidade diferente a cada edição. O evento deverá se chamar FreeOeSC.

2011: O ano da solidificação do OeSC-Livre

O ano de 2011 iniciou reabrindo o debate sobre a realização do FreeOeSC, e o Prof. Tiago Zonta da UNOESC elaborou um projeto para a realização do evento. Foi identificado um edital do CNPq que libera verbas do governo especificamente para a realização de eventos tecnológicos, então o Sidimar e o Tiago trabalharam bastante para finalizar uma proposta e enviar para o edital. O evento está proposto para o final do ano de 2011, e obviamente depende da aprovação desta proposta pelo CNPq.

Mas enquanto isso não acontece, o grupo não está parado! Pequenas (e importantíssimas) participações e encontros do grupo vem sendo realizadas nos últimos meses, com palestras nas universidades da região e “recrutamento” de interessados para divulgar o grupo e organizar atividades em Xanxerê, cidade que ainda não teve muita participação do grupo. Nos últimos meses foram realizadas palestras na Universidade do Contestado e no SENAC em Concórdia, na UNOESC e na Unochapecó em Chapecó, “quase” estivemos presentes no Boot Xanxerê e já temos movimento acontecendo em São Miguel do Oeste para realizar o Workshop de PostgreSQL (que deverá ser realizado nas quatro principais cidades da região).

Navegação
Ferramentas